ghost image socials
A opinião de Miguel Caeiro
Vamos chorar ou vender lenços?
8 de Janeiro de 2021
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Vamos chorar ou vender lenços?
Miguel Caeiro
Head of Latam Vidmob

Nota da direção editorial:

O jornalismo nunca foi tão importante para a economia do país. Apoie a produção dos nossos conteúdos tornando-se membro ou subscritor da nossa comunidade.

Faça parte de uma causa de empoderamento das marcas, das empresas e das pessoas que nelas trabalham.


Como em todos os grandes momentos de rotura ao longo da história, sempre existirão dois tipos de pessoas: as que choram, e as que rapidamente começam a vender lenços. Em que grupo você vai querer estar?


Iniciamos agora o ano de todas as esperanças, o ano da (quase) pós-pandemia, o ano em que já aprendemos a viver com novas rotinas, com distanciamento social, com expectativa de vacinas, com trabalho remoto, com ausência de viagens e reuniões presenciais, e acima de tudo o ano em que nos aproximamos mais dos valores e das pessoas mais importantes, ainda que distantes fisicamente.

 

Assistimos, ainda a quente, aos debates acalorados das várias teorias sobre o que aconteceu, como lidamos com as situações, como os diversos Países reagiram, e como foi mediatizado e politizada nos vários cantos do planeta a pandemia.

 

A pouca distancia temporal, a juventude e consequente fragilidade e instabilidade dos dados existentes ainda não permitem grandes ilações, aprendizados ou avaliações, pelo que pressupomos que os debates e o contrates cada vez maior entre as várias posições das mais alarmistas até as mais negacionistas, vão continuar por longos desgastantes meses.

 

As vozes mais ecoadas têm pouca ou nenhuma base científica, enquanto os verdadeiros peritos ainda se encontram focados, e bem, na frente de combate, sem tempo para teorizar ou avaliar cenários.

 

Mas de tudo isto se ocupará a história, os historiadores e os analistas. Teremos conteúdo para as próximas gerações.

 

Enquanto isso, assistimos a alterações significativas nos mercados, no comportamento do cidadão consumidor, cliente, na economia como um todo.

 

Como reagir a tanta alteração em tão pouco tempo, como se adequar a uma realidade que se alterou de forma tao súbita e que na sua grande maioria não voltará mais, como enfrentar os desafios que de repente surgiram na nossa frente?

 

Como em todos os grandes momentos de rotura ao longo da história, seja por grandes guerras, seja por fenómenos naturais ou políticos, seja por outros fenómenos de igual impacto, sempre existirão dois tipos de pessoas: as que choram, e as que rapidamente começam a vender lenços. Em que grupo você vai querer estar?

 

A capacidade com que alguns negócios e alguns empreendedores rapidamente compreenderam a mudança de paradigma e se voltaram para o lado da oportunidade não para de me surpreender positivamente, São milhares de exemplos que escutamos diariamente de como as pessoas souberam se reinventar, souberam encontrar mercado, souberam ser ágeis e ter foco no essencial, e rapidamente terem êxito em mercados, produtos ou serviços que muito provavelmente nem existiam apenas uns meses atras.

 

A utilização das plataformas digitais como o Facebook, Instagram, Google, Twitter ou mesmo Pinterest, Snapchat e espantem-se, TikTok, veio facilitar muito a rápida implementação de novas ideias de negócio, veio permitir rápidas aprendizagens, correções e melhorias, encurtando processos de lançamento de novas ideias e serviços de anos para algumas semanas, alem de uma diminuição drástica da necessidade de investimento para esses projetos.

 

Desiludam-se os que esperam pacientemente que o mundo volta a Fevereiro de 2020. Esse mundo não volta mais, a rápida digitalização e a mudança de alguns paradigmas importantes vieram para ficar e para mudar a forma como nos organizávamos como sociedade, como empresa, como educação, como entretenimento, enfim, como cidadãos.

 

As grandes plataformas e os grandes players mundiais de tecnologia e ecossistema digital tiveram em 2020 o seu melhor ano, com taxas de crescimento ímpares e com rápida introdução de novos produtos, features ou complementos, e essa tendência apenas está começando.

 

Faça uma analise rápida do seu mercado, olhe para a sua concorrência, veja para onde estão indo os consumidores, de que forma se alterou a sua jornada de consumo desde Marco do ano passado, e de que forma e em que grau essa alteração veio para ficar, veja como o seu modelo de negocio, os seus economics se alteram com isso, e veja como você deve e pode reagir, adaptar, alterar, transformar e tirar o máximo partido desses novos cenários que agora serão os mercados de futuro.

 

Acima de tudo faça a sua escolha, quer chorar ou prefere vender lenços?

 

Eu já escolhi...

  

“Out of adversity comes opportunity. “- Benjamin Franklin

Artigos Relacionados

Grande entrevista assinala 17 anos do IM
6 de Fevereiro de 2021
Pessoas & Lugares

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba os temas e as notícias que são realmente importantes para si

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Empower Brands Community Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

fechar

X

Faça parte da nossa comunidade!

A comunicação positiva e o jornalismo inspirador nunca foram tão relevantes para a gestão da sua empresa. Apoie a produção dos nossos conteúdos e dos nossos projetos fazendo parte de uma comunidade que promove o conhecimento, o valor das marcas e a economia sustentável.


Saiba como se tornar membro ou subscritor. Seja bem-vindo à Empower Brands Community e ao Imagens de Marca.

SUBSCREVER

Obrigado, consulte o seu email.