ghost image socials
Estudo
Profissionais em teletrabalho sentiram-se “mais afetados” pela pandemia
31 de julho de 2020
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Profissionais em teletrabalho sentiram-se “mais afetados” pela pandemia

Nota da direção editorial:

O jornalismo positivo nunca foi tão importante para a economia do país. Apoie a produção dos nossos conteúdos tornando-se membro ou subscritor da nossa comunidade.

Faça parte de uma causa de empoderamento das marcas, das empresas e das pessoas que nelas trabalham.


Os profissionais que estiveram em teletrabalho sentiram que a pandemia afetou “mais severamente as suas vidas”, em comparação com aqueles que continuaram a exercer a sua profissão nos moldes “normais”. É isso que indica um estudo do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.


O estudo, que se insere numa parceria internacional que envolve mais de 40 universidades nos cinco continentes, procurou avaliar os impactos da pandemia de covid-19 ao nível do bem-estar psicológico e relacional.


Os “profissionais em teletrabalho sentiram que a pandemia afetou mais severamente as suas vidas e sentiram um maior impacto emocional, comparativamente a profissionais que continuaram a exercer a sua profissão presencialmente”, revelou o estudo, citado pela agência Lusa.


Os inquiridos do género feminino “revelaram sentir maior impacto emocional face à pandemia”, sendo que todos os participantes referem uma diminuição do impacto da pandemia nas suas vidas após o desconfinamento. Os resultados preliminares também sugerem “uma redução da satisfação conjugal” da fase de confinamento para a fase de desconfinamento, sendo o resultado “mais evidente no caso dos participantes do género feminino”.


Segundo dados revelados pelo estudo, “quanto pior for a satisfação conjugal, mais elevados serão os indicadores de depressão, ansiedade e stress, tendo este resultado sido mais saliente” na fase de confinamento.

A satisfação dos inquiridos relativamente à habitação é uma variável importante na forma como as pessoas vivem a pandemia, confirmando as conclusões de um outro estudo da Universidade de Coimbra em torno dessa área.


Artigos Relacionados

De baby Yoda por exemplo
3 de agosto de 2020
Tendências & Tecnologia
Automóveis fornecerem energia à rede elétrica
3 de agosto de 2020
Tendências & Tecnologia

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba os temas e as notícias que são realmente importantes para si

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Empower Brands Community Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

fechar

X

Faça parte da nossa comunidade!

A comunicação positiva e o jornalismo inspirador nunca foram tão relevantes para a gestão da sua empresa. Apoie a produção dos nossos conteúdos e dos nossos projetos fazendo parte de uma comunidade que promove o conhecimento, o valor das marcas e a economia sustentável.


Saiba como se tornar membro ou subscritor. Seja bem-vindo à Empower Brands Community e ao Imagens de Marca.

SUBSCREVER

Obrigado, consulte o seu email.