ghost image socials

Pesquisa

Casamentos e aniversários lideram os cancelamentos
Portugueses não querem eventos públicos
28 de Maio de 2020
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Portugueses não querem eventos públicos

Há muitas dúvidas e poucas certezas no que diz respeito ao mercado dos eventos. Os chamados “ajuntamentos” são a ação social mais condenada desde que despontou a pandemia, o que levou - em primeira instância por obrigação do governo (62%) e mais tarde por medo (26%) - a uma queda de 53% no mercado dos eventos entre os meses de março e abril, em comparação com 2019.

 

A Fixando – a plataforma de contratação de serviços – realizou um inquérito junto de 20 mil pessoas, entre empresas organizadoras de eventos e clientes, entre os dias 1 e 23 de maio e as conclusões não foram positivas.


Os organizadores de eventos registaram quebras de 80% nos rendimentos, sendo que o top 3 dos cancelamentos é liderado pelos casamentos (-45%), festas de aniversário (-17,5%) e eventos corporativos (-10%). Já nos serviços o aluguer de espaço (43%), o catering (30%) e o serviço de fotografia (22%), foram os primeiros a ser dispensados.


Neste estudo, cerca de 43% dos inquiridos revelou que apenas tinha investido 250 euros em eventos cancelados, enquanto 16,7% já tinham investido mais de 10 mil euros, sendo que, dos eventos cancelados, apenas 18% conseguiu reaver o seu dinheiro.

Artigos Relacionados

A carregar...

fechar

Image

O melhor do jornalismo especializado levado até si. Acompanhe as notícias do mundo das marcas que ditam as tendências do dia-a-dia.

A enviar...

Consulte o seu email para confirmar a subscrição.

Li e aceito a política de privacidade.

Image

Fique a par das iniciativas da nossa comunidade: eventos, formações e as séries do nosso canal oficial, o Empower Brands Channel.

A enviar...

Consulte o seu email para confirmar a subscrição.

Li e aceito a política de privacidade.