ghost image socials
A opinião de Eduardo Tavares
O peso do Leão português
20 de Julho de 2021
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
O peso do Leão português
Eduardo Tavares
VP Creative Director for Craft & Design AREA 23

Nota da direção editorial:

O jornalismo nunca foi tão importante para a economia do país. Apoie a produção dos nossos conteúdos tornando-se membro ou subscritor da nossa comunidade.

Faça parte de uma causa de empoderamento das marcas, das empresas e das pessoas que nelas trabalham.


A verdade é que todo Leão, independente do investimento, marca ou nacionalidade, só chega com muito suor e lágrimas.


Este ano Portugal figurou novamente entre os países premiados em Cannes, com a bela peça “Preenchido pela Paralisia” da Havas, dos talentosos Ruben de Barros e João Araújo (com o primeiro tive o prazer de trabalhar alguns meses na FCB Lisboa e com o segundo tive a oportunidade de aprender um pouco enquanto dava um módulo das aulas de criatividade na Flag).


Fiquei mesmo feliz e satisfeito pelo feito. Não só por conhecer os gajos pessoalmente, mas por saber da dificuldade que é faturar um desses felinos metalizados em Portugal. Conheço bem as agruras e lutas do criativo português para chegar a tal objectivo – depois de bons anos de tentativas, em 2017 finalmente tive a felicidade de levar um, juntamente com o Victor Afonso e o Edson Athayde.


Claro que também fiquei (bastante) feliz , porque nesta mesma edição de 2021 tive a oportunidade de participar de 3 projectos que juntos levaram 18 Leões (2 GPs entre eles), e também foram grandes “trampolins” para alcançar os prémios de Agência do ano em Health (para a AREA 23), Network de Health do ano (FCB Health) e Network do Ano (para a FCB Global).


E com esta nova experiência em um mercado do tamanho do americano, ficou bem claro uma teoria que sempre tive: ganhar um Leão de Cannes conquistado em terras portuguesas vale muito. Muito mesmo.


O nível de investimento em uma premiação como essa, num mercado do tamanho do americano, é completamente descomunal quando comparado aquele investido pelo mercado português. “Jura?” pergunta você leitor, que está careca de saber esse facto. Sim, não é novidade, mas presenciar isso, em directo, dá uma nova perspectiva sobre o assunto. Seja na forma de inscrições, seja na forma de produção ou até mesmo na atenção e cuidado com os mínimos detalhes, não há comparativo entre os dois países.


Além das questões financeiras, há também o nível de valorização e procura que uma premiação deste porte recebe também por parte das empresas americanas. Isso torna um Leão por essas bandas não apenas um capricho de criativo, mas sim um potencializador de negócio junto aos clientes.


Tudo isso faz com que eu valorize ainda mais aquele solitário Leão alcançado lá em 2017. E também que deixe aqui nesse singelo texto o mais profundo respeito e admiração pelas conquistas também hercúleas de profissionais como o Ruben e o João, o Edson Athayde, o Victor Afonso, o Viton Araújo, o Ricardo Silveira, o Luis Silva Dias, o Duarte Pinheiro de Melo, o Marcelo Lourenço, o Pedro Bexiga, o Ruben Rodrigues, o André Pereira, o Rui Silva, o Colmar Berghahn, a Luciana Cani, o Erick Rosa, o Chacho Puebla, o Rafael Pitanguy, o Pedro Pinho, o Vasco Gaspar, o Nuno Jerónimo, Ícaro Dória e o do João Flores, o André Lopes, o José Bomtempo, o Diogo Anahory e tantos outros que eu provavelmente esqueci.


A verdade é que todo Leão, independente do investimento, marca ou nacionalidade, só chega com muito suor e lágrimas. Mas digamos que em Portugal o volume necessário de lágrimas é um bocadinho maior.


Afinal, como diria um grande “copywriter” português: “Ó mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal.”

Artigos Relacionados

fechar

fechar

X

Faça parte da nossa comunidade!

A comunicação positiva e o jornalismo inspirador nunca foram tão relevantes para a gestão da sua empresa. Apoie a produção dos nossos conteúdos e dos nossos projetos fazendo parte de uma comunidade que promove o conhecimento, o valor das marcas e a economia sustentável.


Saiba como se tornar membro ou subscritor. Seja bem-vindo à Empower Brands Community e ao Imagens de Marca.

SUBSCREVER

Obrigado, consulte o seu email.