ghost image socials
“Stop Hate For Profit”
Boicote publicitário contra o Facebook em marcha
29 de junho de 2020
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Boicote publicitário contra o Facebook em marcha

Nota da direção editorial: Ultrapassámos os nossos records de audiência em Televisão e Online nos últimos meses. Obrigado por ter estado connosco!

Agora, que começamos um novo ciclo, queremos continuar consigo e a tê-lo sempre ao nosso lado. Mais do que nunca é preciso estarmos juntos!


Aquilo que parecia ser uma ação de pequenas dimensões está a transformar-se num verdadeiro boicote publicitário contra o Facebook.


Várias organizações, como a Liga Anti-Difamação (ADL), que defendem os direitos civis deram o ponto de partida a esta iniciativa, sob o lema “Stop Hate For Profit”. O objetivo era convencer os anunciantes a deixarem de investir em publicidade no Facebook durante o mês de julho, de forma a castigar a plataforma por esta não conseguir conter o discurso de ódio e as notícias “fake”.


A verdade é que, ao contrário do que alguns poderiam pensar, a ação está a transformar-se num verdadeiro boicote publicitário, ao qual várias grandes marcas a nível mundial se estão a associar. Segundo o Marketing Directo, depois da Unilever e da Verizon terem aderido à iniciativa, nas últimas horas também a Coca-cola afirmou que a partir do próximo dia 1 de julho irá suspender toda a sua publicidade. E não irá suspendê-la apenas no Facebook e Instagram, mas em “todas as redes socias”, pelo que a decisão deverá estender-se provavelmente a canais como o Twitter, YouTube e outras plataformas.


Sem se referir especificamente a este boicote, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, já veio anunciar igualmente uma série de mudanças na rede social, com o objetivo de eliminar as ondas de ódio, violência e de desinformação. Por essa razão, a marca irá excluir todos os anúncios que transmitam a ideia de que as pessoas de uma determinada raça, etnia, nacionalidade, género ou orientação sexual são uma ameaça para a segurança física ou para a saúde de qualquer outra pessoa.  Tal como o Twitter, a plataforma irá também começar a marcar conteúdos considerados potencialmente “perigosos”, ainda que sejam relevantes para o interesse público.


Além da Coca-Cola, Unilever e Verizon, anunciantes como a Diageo, Honda, Levi«s, Dockers, Ben & Jerrys ou The North Face juntaram-se à iniciativa “Stop Hate For Profit”. A Color of Change, uma das entidades que promove a ação, anunciou que desde o dia 17 de junho mais de 100 marcas já mostraram o seu apoio.

Artigos Relacionados

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba os temas e as notícias que são realmente importantes para si

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Empower Brands Community Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

fechar

X

Faça parte da nossa comunidade!

A comunicação positiva e o jornalismo inspirador nunca foram tão relevantes para a gestão da sua empresa. Apoie a produção dos nossos conteúdos e dos nossos projetos fazendo parte de uma comunidade que promove o conhecimento, o valor das marcas e a economia sustentável.


Saiba como se tornar membro ou subscritor. Seja bem-vindo à Empower Brands Community e ao Imagens de Marca.

SUBSCREVER

Obrigado, consulte o seu email.