ghost image socials
Dos portugueses
Viagens e lazer entre as principais intenções de consumo
15 de abril de 2019
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Viagens e lazer entre as principais intenções de consumo
Ema Gil Pires
Jornalista

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa e com um enorme fascínio pelo mundo da música e do desporto. Descobrir novas histórias e temáticas inovadoras é algo que lhe desperta um grande interesse, tal como dar a conhecê-las àqueles que a rodeiam.

Os períodos de férias, como a Páscoa, são cada vez mais utilizados pelos portugueses para um descanso fora da sua residência. Talvez por isso as viagens e as atividades de lazer ocupem o primeiro lugar (61%) nas principais intenções de consumo dos portugueses para este ano, quando questionados pelo Barómetro Europeu Observador Cetelem 2019.

No pódio, constam ainda os eletrodomésticos (46%) e os smartphones (42%). Por outro lado, 39% dos portugueses dizem que tencionam adquirir mobiliário, enquanto 28% contam fazer obras de melhoria ou de renovação do seu lar. Já em termos europeus, a classificação é bastante semelhante: as viagens e o lazer apresentam-se em primeiro lugar (60%), seguidos da compra de eletrodomésticos (43%) e de smartphones (37%).

Ainda assim, a vontade dos portugueses de aumentar as suas poupanças é superior à de aumentar os seus gastos. Uma propensão partilhada com a maioria dos europeus, com 49% do total de inquiridos a desejar aumentar as suas economias e apenas 41% a dizer que pretendem gastar mais.

Mas estas médias ocultam as disparidades existentes entre os vários países. No topo da lista de países onde economizar mais é atualmente uma prioridade encontram-se a Noruega (71%), Portugal (64%), a Suécia e a Dinamarca (63%), cujos cidadãos afirmaram claramente as suas intenções neste sentido.

Pelo contrário, a França (29%), a Bélgica (36%) e a Eslováquia (38%) são os três países em que os inquiridos têm menores pretensões de aumentar as suas economias. É ainda possível analisar que as intenções de economizar mais aumentaram significativamente na maior parte dos países, particularmente no Leste da Europa – como, por exemplo, na Bulgária, Hungria, Roménia e Polónia.

No que respeita às intenções de aumentar gastos, destacam-se claramente quatro países europeus: a Eslováquia (73%), a Roménia (63%), a Bulgária (62%) e a República Checa (60%). No lado oposto, há um menor número de cidadãos húngaros (21%) e dinamarqueses (26%) com intenção de aumentar gastos.

Em termos globais, os europeus questionados restringiram o orçamento relativamente ao ano anterior, por vezes de forma acentuada, tal como sucedeu no Reino Unido, República Checa e Polónia. Embora 58% dos indivíduos afirmem desejar consumir, 47% declaram não dispor de meios para o fazer.

Entre os países mais relutantes em aumentar os seus gastos, são quatro os que apresentam percentagens iguais ou superiores à média. Este grupo é encabeçado pela República Checa, onde 56% dos inquiridos não têm intenções de gastar mais, seguindo-se a Noruega (55%), a Eslováquia (50%) e a Bélgica (51%). Sobre as intenções de gastos, a percentagem de inquiridos portugueses que pretende gastar mais mantem-se estável face ao ano passado (33%).

Artigos Relacionados

Este fim de semana, na SIC Notícias
26 de junho de 2019
Tendências & Tecnologia
Em Portugal
26 de junho de 2019
Tech
Campanha de sensibilização
26 de junho de 2019
Criatividade

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba no seu e-mail as notícias mais quentes da área.

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Cristina Amaro Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.