ghost image socials
Estudo demonstra entusiasmo dos portugueses
Restaurantes: reservas online crescem 200% após anúncio de reabertura
14 de Maio de 2021
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Restaurantes: reservas online crescem 200% após anúncio de reabertura

Nota da direção editorial:

O jornalismo nunca foi tão importante para a economia do país. Apoie a produção dos nossos conteúdos tornando-se membro ou subscritor da nossa comunidade.

Faça parte de uma causa de empoderamento das marcas, das empresas e das pessoas que nelas trabalham.


Três meses após o encerramento, os restaurantes voltaram a abrir. O momento foi vivido de forma entusiasmada pelos portugueses que regressaram aos estabelecimentos mostrando sinais encorajadores de uma recuperação positiva da atividade económica destes espaços.


Um estudo revela agora que as reservas online cresceram 200% desde o anúncio da reabertura dos restaurantes.

 

Atingindo números muito similares aos registados na era pré-covid, o estudo do TheFork revela que 84% dos portugueses contam regressar, ou já ter regressado, aos seus espaços preferidos antes do final de maio e 73% pretendem apreciar uma refeição nos restaurantes com uma frequência igual ou superior à anterior.

 

Este regresso aos restaurantes revela-se um pouco diferente, uma vez que o consumidor está mais atento e cuidadoso ao preferir aplicações digitais para preparar a sua ida ao restaurante: 53% estão atentos às medidas de segurança do restaurante antes da reserva e 47% contam reservar online com mais frequência.


Na hora de reservar, 44% dos inquiridos demonstram vontade de o fazer com uma maior antecedência. As reservas já refletem esta preferência, pois estão a ser efetuadas com mais 2 horas de antecedência do que no período pré-covid (de 4,5horas para 6,5horas).


De notar que as reservas para almoço têm sido muito solicitadas (37% versus 35% pré covid-19). Já as saídas para jantar representam atualmente 63% das reservas em relação a 65% antes da pandemia.


A vontade de partilhar bons momentos à mesa está muito presente na cultura portuguesa, contudo 71% dizem que é essencial o cumprimento das regras de segurança da Covid-19 nos restaurantes, caso contrário não vão. E 38% dos inquiridos dão preferência às esplanadas.


Em relação ao orçamento disponível, 48% dos portugueses não prevêem ter mais restrições do que antes face às despesas com restaurantes, mas 31% demonstram-se mais atentos, revelando que o seu rendimento teve um forte impacto com a pandemia.


“É incontestável que esta dinamização e interesse no regresso aos restaurantes encoraja toda a indústria e permite enfrentar o dia-a-dia de forma muito positiva. É certo que o setor não pode ser relançado em cinco dias. Há toda uma indústria que precisa de ser reorganizada - proprietários de restaurantes e fornecedores não estavam prontos para uma reabertura antecipada face ao dia inicialmente previsto. No entanto, em muitos países já vivemos vários encerramentos e reaberturas, inclusive em Portugal, onde os restaurantes tiveram que fechar pela segunda vez em janeiro. As reaberturas mostraram-nos a resiliência do mercado da restauração e o desejo das pessoas regressarem à sua vida social, ajudando o setor. Estamos convictos que será novamente o caso dos portugueses”, refere em comunicado Sérgio Sequeira, CEO da região Iberia & Latam do TheFork.



Artigos Relacionados

fechar

fechar

X

Faça parte da nossa comunidade!

A comunicação positiva e o jornalismo inspirador nunca foram tão relevantes para a gestão da sua empresa. Apoie a produção dos nossos conteúdos e dos nossos projetos fazendo parte de uma comunidade que promove o conhecimento, o valor das marcas e a economia sustentável.


Saiba como se tornar membro ou subscritor. Seja bem-vindo à Empower Brands Community e ao Imagens de Marca.

SUBSCREVER

Obrigado, consulte o seu email.