Quem tem medo... não inova

Pesquisa

A opinião de Marta Sotto-Mayor
Quem tem medo... não inova
12 de Junho de 2024
Quem tem medo... não inova
Quem tem medo... não inova
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Quem tem medo... não inova
Marta Sotto-Mayor
Formadora & Consultora Internacional - Especialista Hotelaria, Turismo e Restauração
Pub
Pub Lateral dentro artigoPub Lateral dentro artigo
Continuar a ler depois da Publicidade
Pub
Pub dentro artigoPub dentro artigo

A inovação é primordial para o sucesso empresarial, mas muitas empresas hesitam em abraçar a incerteza necessária para inovar, por medo do erro.


É fundamental distinguir entre erros inovadores, que ocorrem ao explorar novas ideias e são essenciais para o desenvolvimento, e erros por incompetência, resultantes de falta de conhecimento ou preparação, que apenas trazem repercussões negativas.


Temer o desconhecido é um obstáculo ao progresso. Empresas de renome mundial, com produtos inovadores, como Apple, Netflix e AirBnB enfrentaram críticas iniciais, provando que a curiosidade deve substituir o medo. A Google promove uma cultura de erro, sabe que os fracassos são etapas necessárias na jornada da inovação. A esta metodologia chamam “fail fast”, assumir que há coisas que vão falhar mas que vão ajudar a definir a próxima iteração. O objetivo é, em ciclos curtos de tempo, chegar ao objetivo o mais rápido possível, para minimizar custos ou contrariedades maiores. Projetos de mudança de longo prazo tendem a ter mais controlo e menos erro, mas têm mais esforço, custos e muitas vezes quando chegam à reta da meta já estão obsoletos.

No setor da Hospitalidade, que conheço bem, a cultura de aceitar erros é menos visível, mas empresas como a Virgin Hotels, Generator Hostels ou Selina adotam esta filosofia para agitar o paradigma e melhorar a experiência do cliente de forma continuada.

Em Portugal, o NEST - Centro de Inovação do Turismo - tem como missão promover soluções inovadoras na cadeia de valor e é muito inspirador o trabalho que desenvolvem. E quando o peso do setor no PIB nacional é superior a 16% é crucial que haja apoio ao desenvolvimento de novas ideias, à experimentação de projetos e à capacitação das pessoas em diversos domínios do complexo ecossistema do turismo.

Para inovar com sucesso é necessário verificar-se aplicabilidade em contexto de negócio, seja pela melhoria de receitas, redução de custos e / ou melhoria da experiência do cliente. As organizações que incentivam a implementação de uma política de "falhar rapidamente, e aprender ainda mais depressa" conseguem que pequenos passos acumulados conduzam a grandes transformações.

Para combater ambientes onde errar é mal visto trago 3 ideias:


-  A comunicação e educação sobre os benefícios dos erros como oportunidades de aprendizagem são essenciais. Um exemplo inspirador é a criação do molho Worcestershire, nascido de uma falha que se transformou numa inovação culinária após ser reavaliada anos mais tarde. O que hoje é bom, amanhã pode não ser e o contrário também é válido.


-   Implementar pequenos projetos que permitem erros controlados, como lançar uma iguaria experimental antes de mudar o menu do restaurante, demonstra a capacidade de dar valor ao erro. Fazer a prova de conceito, permitindo ajustes baseados no feedback dos clientes e fomentando uma cultura de inovação contínua, não precisa de ser complicado. Premiar a melhoria é uma tática básica.


-  É crítico aplicar o feedforward construtivo, em que o foco está no futuro e na melhoria contínua. Em vez do profissional se fixar em erros passados, é mais produtivo aprender com eles e focar-se no que pode fazer melhor da próxima vez. Estabelecendo metas progressivas, o medo de falhar ou de desapontar pode ser transformado numa ação positiva.


Enfrentar o medo de errar é fundamental para a inovação. Encorajar a curiosidade, testar possibilidades, aceitar o erro e estabelecer objetivos alcançáveis são práticas essenciais para quem quer o progresso. Quem não erra, não inova, e estagnar é sinónimo de criar problemas futuros.

Pub
Horizontal Final do artigoHorizontal Final do artigo

Artigos Relacionados

fechar

Quem tem medo... não inova

O melhor do jornalismo especializado levado até si. Acompanhe as notícias do mundo das marcas que ditam as tendências do dia-a-dia.

A enviar...

Consulte o seu email para confirmar a subscrição.

Li e aceito a política de privacidade.

Quem tem medo... não inova

Fique a par das iniciativas da nossa comunidade: eventos, formações e as séries do nosso canal oficial, o Brands Channel.

A enviar...

Consulte o seu email para confirmar a subscrição.

Li e aceito a política de privacidade.

imagensdemarca.pt desenvolvido por Bondhabits. Agência de marketing digital e desenvolvimento de websites e desenvolvimento de apps mobile