ghost image socials
A opinião de Luciana Cani
Profissionais globais e decisões locais
2 de novembro de 2018
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Profissionais globais e decisões locais
Luciana Cani
Senior Vice-Presidente, Diretora Criativa Executiva Lapiz USA

Existe uma frase muito conhecida que é pensar globalmente e agir localmente. Profissionais com experiências globais são muitas vezes responsáveis por tomar decisões onde o conhecimento local é fundamental.

Tornar-se líder após anos numa mesma empresa é bem diferente de ser contratado para liderar uma. E quando isso implica que um profissional com experiência em um mercado estrangeiro, lidere uma equipe num país diferente, tornar-se relevante nas decisões do dia-a-dia pode ser um desafio. Principalmente no início.

Como preencher esse “gap” de conhecimento para uma tomada de decisão acertada?

No meu caso, implica sempre em um equilíbrio de frustrações e um exercício de humildade. Assumir que preciso aprender, é hoje em dia a primeira decisão que tomo numa situação dessas. Mas nem sempre é fácil, pois como líder, esperam que você indique o caminho e não necessariamente tenha dúvidas.

Um passo importante antes de aceitar um desafio num mercado estrangeiro é identificar pelo menos um parceiro. Geralmente a pessoa responsável pela contratação é aquela que vai te ajudar a navegar no novo sistema.

Grande parte do trabalho de aprendizado vem também da decisão de pedir ajuda. E, em muitas das vezes, para pessoas subordinadas a você.

Esta decisão tem sempre dois lados: alguns vão duvidar rapidamente da sua capacidade e outros vão ver como uma oportunidade de trabalhar colaborativamente.

Mas então porque um profissional com experiência global é um atrativo mesmo em empresas onde decisões importantes são tomadas localmente?

Acredito que a combinação de profissionais com muita experiência e outros com uma perspectiva de fora, é o que faz um bom balanço num time.

Quando digo profissionais com muita experiência, refiro-me àqueles que decidiram trabalhar mais tempo numa mesma função ou numa mesma empresa. Em contraste com aqueles que escolheram um caminho mais fragmentado, seja por opção de acumular experiências em diferentes funções ou diferentes mercados.

As profissionais com muito conhecimento num determinado mercado ou empresa são importantíssimos pois possuem histórico, informação e experiência. Já quando se contrata um profissional de fora, a expectativa é que ele traga mudanças, pense de um modo diferente e tire outros da zona de conforto.

Repensar novos modos de trabalhar e diferentes abordagens é parte crucial de combinar experiência de outros mercados. Porém, deve-se ter sensibilidade de nem sempre reproduzir abordagens. Algo que pode ter gerado ótimos resultados num mercado, pode não funcionar nada bem em outros. Experimentar e assumir riscos é parte importante do papel de um líder, e isso inclui criatividade, mas também discernimento.

Para liderar equipas num mercado estrangeiro, a colaboração de profissionais com experiência local é fundamental para um bom desempenho. Sem essa colaboração, nem sempre é possível obter bons resultados.

Por este motivo, para aqueles que trabalham num mercado estrangeiro, a afirmação “ninguém faz nada sozinho” é ainda mais verdadeira.

Artigos Relacionados

Da CBRE em Portugal e Espanha
13 de novembro de 2018
Pessoas & Lugares
A opinião de Hugo Oliveira
9 de novembro de 2018
Opinião
Sem preconceitos, sem pós-produção
9 de novembro de 2018
Pessoas & Lugares

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba no seu e-mail as notícias mais quentes da área.

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Cristina Amaro Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.