ghost image socials
A opinião de Uriel Oliveira
O retorno do investimento na Web Summit
26 de novembro de 2018
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
O retorno do investimento na Web Summit
Uriel Oliveira
Diretor Operações e Negócio Cision

De acordo com o anterior ministro da Economia Caldeira Cabral, 300 milhões de euros é o valor com o qual a Web Summit contribui em cada ano para a economia do país.

Deste valor, 30 milhões de euros entram diretamente nos cofres do estado em impostos, o que, face aos 11 milhões de euros investidos pelo estado português para garantir a realização da conferência em Portugal, permitem um retorno de investimento excecional.

Contudo, muito para além do retorno avaliado por economistas e políticos na diferença aritmética entre os custos e os proveitos, os próximos 10 anos da Web Summit em Lisboa podem traduzir-se num valor reputacional cuja dimensão é, por agora, totalmente imensurável de forma direta.

A associação da cidade de Lisboa aos valores do empreendedorismo, inovação ou pensamento futuro, valores que a conferência emana espontaneamente, podem ser o verdadeiro pote de ouro por detrás dos 10 anos de arco íris da Web Summit.

A associação de valores aspiracionais à reputação de uma cidade ou de um país, é um processo gradual, lento, mas poderoso quando se traduz na afirmação de uma identidade única, capaz de se diferenciar na oferta do mundo.

Não tendo a ousadia de pensar que Lisboa poderá vir a ser a cidade mundial do empreendedorismo, tecnologia ou inovação, assim como Paris é a cidade do amor, ou Milão a cidade da moda, estou certo que a conferência Web Summit poderá ser um rastilho impulsionador de um processo de valorização da marca Lisboa, que se detonar um plano de fundo aglomerador, transversal e fraturante, poderá mudar a história.

As mais de 8000 notícias online que a Cision identificou em sites de informação de todo o mundo com referência à cidade de Lisboa no âmbito da Web Summit com impacto numa audiência acumulada superior a 1,2 mil milhões de contactos, os milhões de gostos, comentários e partilhas nas redes socais, promovidos espontaneamente, no boca a boca, por muitas das 70 mil pessoas presentes no evento, são a garantia que há espaço para trabalhar, assim, haja também o engenho e a arte.

Artigos Relacionados

A opinião de Luciana Cani
10 de dezembro de 2018
Opinião
A opinião de Bernardo Lucas
7 de dezembro de 2018
Opinião
A opinião de Rogério Canhoto
6 de dezembro de 2018
Opinião

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba no seu e-mail as notícias mais quentes da área.

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Cristina Amaro Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.