ghost image socials
A opinião de Alberto Rui Pereira
Digital impera mas não reina sozinho
27 de fevereiro de 2018
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Digital impera mas não reina sozinho
Alberto Rui Pereira
CEO / IPG Mediabrands Portugl

Apesar de vivermos na era do digital, os anúncios em TV ainda são relevantes para as campanhas de muitas marcas. Esta é uma tendência que contrasta com o decréscimo do investimento em spots televisivos. Basta recordar que o digital tem vindo gradualmente a ganhar terreno à TV, e que, nos Estados Unidos, já ultrapassou mesmo a televisão. No entanto, o próprio Google reconhece que haverá sempre um lugar para a televisão no media-mix. Prova disso é que recentemente anunciou o lançamento de quatro novas ferramentas que providenciarão diferentes caminhos para os anunciantes planearem a compra de anúncios em TV, tirando partido dos dados, segmentando o target e medindo os benefícios.

À medida que a tecnologia evolui, também se transforma o modo como as pessoas se ligam às coisas que são importantes para si. Recordemos que, nos últimos 20 anos, quando havia necessidade de pesquisar informação na internet, recorria-se ao Google. O Google permanece “rei”, mas o seu reinado como em tudo na vida não pode ser dado como garantido graças a vários avanços na tecnologia e mudanças no comportamento do consumidor. É crucial que as marcas acompanhem o que está a acontecer ao nível da pesquisa e diversifiquem as suas estratégias.

Veja-se o exemplo da Amazon que superou o Google como o local por onde as pessoas iniciam as suas pesquisas quando iniciam a procura para comprar um produto online. De acordo com um estudo de 2016, 52% dos inquiridos encetaram a pesquisa pela Amazon, contra 26% das pessoas que iniciaram a pesquisa num motor de busca, uma alteração muito influenciada pela melhoria na disponibilização de dados.

Mas outras alterações estão em curso. Segundo o site de tráfego online SimilarWeb, o número de visitas mensais ao YouTube.com é 5,3% maior do que Google.com. Também aqui os títulos, descrições e palavras-chave e tags fazem diferença ao nível da otimização dos mecanismos de busca (SEO), tal como as diversas estratégias para melhorar a retenção dos utilizadores.

Estas são apenas algumas das conclusões do “Digital Snapshots”, divulgado recentemente a nível internacional pela IPG Mediabrands.





Artigos Relacionados

Enquadrado na nova estratégia da marca
11 de dezembro de 2018
Pessoas & Lugares
A opinião de Luciana Cani
10 de dezembro de 2018
Opinião
A propósito do Brexit
10 de dezembro de 2018
Pessoas & Lugares

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba no seu e-mail as notícias mais quentes da área.

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Cristina Amaro Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.