ghost image socials
'Play your part'
Ageas desafia colaboradores a ‘desempenharem o seu papel’
11 de fevereiro de 2019
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
Ageas desafia colaboradores a ‘desempenharem o seu papel’
Francisco Branco
Jornalista

Formado em Jornalismo pela Escola Superior de Comunicação Social. Além de ser um eterno sonhador, e curioso por natureza, uma das suas paixões é percorrer o país de lés-a-lés em busca das histórias de sucesso das empresas e marcas nacionais.

O Grupo Ageas Portugal escolheu o Altice Arena, em Lisboa, para ser o palco do seu 3º encontro de colaboradores. O mote: “play your part” (desempenhem a vossa parte). “Qualquer empresa é feita de pessoas, e o todo só funciona se de facto cada pessoa fizer a sua parte. O desafio no final é que o conjunto funcione, que haja colaboração, respeito e entreajuda. Para que isso aconteça, para celebrarmos como estamos todos a fazer hoje, todos têm que desempenhar o seu papel desde o CEO até cada um de nós dos colaboradores.” - explica ao Imagens de Marca Inês Simões, diretora de marca e comunicação do Grupo Ageas Portugal.

O grupo aproveitou a ocasião para apresentar aos colaboradores a estratégia para os próximos 3 anos, em que é muito importante, que cada um desempenhe o seu papel, explica o CEO do Grupo em Portugal, Steven Braekeveldt. A empresa quer mudar a abordagem ao consumidor e assim afastar-se da imagem típica que as seguradoras têm no mercado. O mesmo responsável pela marca explica que é importante que estes eventos existam para que os colaboradores não fiquem com a ideia de que a Ageas não é uma empresa seguradora ‘aborrecida’, mas sim uma empresa que está a par das tecnologias e das tendências do mercado.

Quando questionado acerca dos desafios do mercado segurador, Steven, explica que o mercado dos seguros é um mercado muito complexo porque as marcas têm que ter oferta para todos os aspectos da vida do consumidor. É um mercado muito competitivo porque há tecnologias que apenas agora estão a ganhar massa crítica, como por exemplo as casas inteligentes e a Internet das Coisas, para estas novas formas de vida é preciso que estas empresas tenham ofertas neste sentido.

Para o futuro deste grupo, o CEO adivinha um futuro fantástico em Portugal. Steven faz a relação entre o aumento de escolaridade e de poder de compra com a necessidade de proteger os bens que os consumidores têm em casa.

Artigos Relacionados

Estreia da rubrica “Indústria Inteligente”
15 de fevereiro de 2019
Indústria Inteligente
Entrevista na íntegra
15 de fevereiro de 2019
A Excelência do Luxo

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba no seu e-mail as notícias mais quentes da área.

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Cristina Amaro Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.