ghost image socials
A opinião de António Jorge
A Diferenciação na Responsabilidade Social
4 de março de 2019
Image
Image
Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit.
A Diferenciação na Responsabilidade Social
António Jorge
Consultor, Executivo e Docente Universitário

A responsabilidade social tem hoje uma relevância inquestionável, quer na comunicação, quer na relação das empresas e marcas com os seus stakeholders.

Neste artigo, entende-se responsabilidade social como o conjunto de responsabilidades que uma organização, voluntariamente, assume para com os seus stakeholders. Esse conjunto pode incluir, segundo Haski-Leventhal, as seguintes responsabilidades: ética, legal, económica, social, ambiental e filantrópica.

Varias razões convergem para esta realidade; por um lado o alargamento das funções da marca e a sua necessidade de gerar conteúdos, e por outro a necessidade de partilhar valor com a sociedade.

Se a responsabilidade social corporativa é uma componente inolvidável nos planos anuais das empresas e das marcas, pelas razões anteriormente expostas, também é recomendável que esses planos procurem, complementarmente, apoiar a diferenciação e aumentar as associações positivas a essas marcas e empresas.

Este é um desafio verdadeiramente aliciante face à imensidão de problemas existentes no mundo e na sociedade. Qual selecionar?

Penso que se deve ponderar os recursos a afetar e a capacidade de efetivamente fazer a diferença na contribuição para a resolução do problema selecionado. Deve ainda entrar na equação, o DNA da marca e da cultura empresarial, bem como os problemas que estão próximos ou são mesmo gerados pelo setor onde se insere o negócio.

Uma outra abordagem diferenciada é identificar os problemas e impactos gerados pela cadeia de valor onde o negócio está inserido e procurar através da inovação e/ou da disrupção minorar ou eliminar esses impactos. A economia circular é exemplo de um dos conceitos que pode inspirar formas de minorar ou mesmo solucionar problemas ambientais.

A responsabilidade social é uma realidade inquestionável. Se conseguirmos que os recursos a ela afetos acrescentem valor pela diferenciação e relevância para os stakeholders, então estamos a fazer uma desejável otimização desses recursos, dado o beneficio mutuo para a sociedade e para a empresa.

Artigos Relacionados

A opinião de Susana Albuquerque
21 de março de 2019
Opinião
Castelo Branco
20 de março de 2019
Pessoas & Lugares
A opinião de Uriel Oliveira
18 de março de 2019
Opinião

fechar

fechar

Subscreva a nossa newsletter e receba no seu e-mail as notícias mais quentes da área.

Imagens de Marca Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.

Cristina Amaro Newsletter

Obrigado, consulte o seu email.

Li e aceito a política de privacidade.